Ver o mundo com mais amor

Implica reconhecer a falta de amor que sentimos dentro de nós mesmos.

Implica coragem e determinação para não entrarmos nos filmes loucos da mente de culpar, acusar e colocar fora de nós a razão das nossas frustrações e crises emocionais.

Claro que não é fácil.

Mas também não é fácil viver em sofrimento interior, a sentir uma ansiedade constante, medo a permear as nossas palavras e ações, culpa a sufocar-nos por dentro.

Há momentos que nos abrem a porta do coração.

Não os compreendemos.

Mas contêm em si as sementes do AMOR mascaradas de dor. A dor que a mente vê, o corpo sente… e que quando permitida, mostra uma calma sem razão, mas também um amor sem apego.

Parece que o nosso mundo se vira ao contrário, nada está onde parece estar, e isso parece assustar.

Se há crenças fáceis de soltar, ideias que partem de forma simples e natural. Há aquelas que parecem entranhadas, acorrentadas por uma culpa que não se consegue explicar e parece não desaparecer.

Há situações que parecem repetir-se, trazendo consigo as mesmas lições: é hoje, é AGORA que aceitas que não és quem pensas que ÉS? É AGORA que largas essas história?

E podem ser breves momentos… mas já largaste.

Sabes que é possível largar e reconhecer o silêncio deste momento. A beleza deste instante.

Só e apenas este instante.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s