Observar, contemplar… unir!

SDC14373

Sempre gostei de olhar para o céu. Gosto de ver as pombas “namorar” nas traseiras de casa. Mas se estiver a andar na rua, não era pessoa de parar para observar pombas.

Ele ensinou-me e ensina-me a parar, observar, contemplar com amor tudo o que é novo ou que lhe chama a atenção.

“O que é este barulho?”
“Este som é o pombo a querer namorar a pomba!”

E ficamos ali, até que ele decidiu que podíamos avançar no nosso passeio!

Para mim, o mais importante era apanhar sol, aquecer-me com os raios de sol quente da manhã. Para ele, tudo era importante, mostrando-me a mim a importância de tudo que é visto com uma mente aberta, sem julgamentos!

É preciso tão pouco para desfrutar do momento, para nos conectarmos com a natureza presente em todos os lugares e para nos unirmos, mãe e filho, ser a ser, em qualquer instante!

5 thoughts on “Observar, contemplar… unir!

  1. Olá, Ângela!

    Acabo de conhecer o seu blog através de uma busca que fiz no google sobre como viver feliz. Na página dos posts que encontrei, você falava sobre observar os pensamentos e emoções que porventura surgissem numa meditação focada na respiração. Logo me perguntei: como é isso de observação? E senti vontade de entrar em contato com você para saber um pouco mais.

    Para minha surpresa, atualizei a home e vi a última postagem, feita hoje. Nela, você fala justamente sobre observação. Mas uma observação focada na natureza.

    Ângela, para mim é muito difícil a prática da observação focada na mente e sentimentos. Sou jovem, e paralelo a algumas circunstâncias da minha vida, tenho buscado meu desenvolvimento pessoal. Mas não que tenha sido uma busca motivada pelo sofrimento. É justamente o contrário: como se a minha busca gerasse o sofrimento.

    Tenho começado a também observar a natureza. Não digo que seja fácil para mim. Mas particularmente à observação da minha mente e sentimentos, o universo interior, digo que já passei por momentos muito difíceis. Estes dois últimos anos foram anos de período sabático, em que vivi muitas situações relacionadas à mente. Eu lia e assistia livros, vídeos e textos, mas sabia que não conseguiria ou não estava preparado para partir para a meditação propriamente dita, como eu sempre encontrava quando pesquisava.

    Até que um dia, mais recentemente, encontro em um site um áudio se propondo a explicar o que seja a meditação, partindo do pressuposto de que o que se encontra normalmente na internet não seja a meditação propriamente dita. Aí ele fala que meditar é OBSERVAR os pensamentos, e deixá-los passar.

    Ângela, o que é esse observar?

    Obrigado.

    PS.: Certamente, favoritarei o seu site.

    1. Olá!
      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Eu só posso responder sobre o que é observar para mim.
      Observar é estar atenta ao que surge na minha consciência neste momento: observar as minhas mãos a escrever no computador, as letras a aparecer no monitor. Escutar os sons que estão presentes na sala neste momento. Sentir o toque do computador enquanto escrevo.
      Sentir o sabor dos alimentos quando os coloco na boca. Sentir os cheiros. As texturas. E observar. Simplesmente observar tudo. Deixar que todos os meus sentidos estejam neste momento.
      E claro, os pensamentos surgem. Observá-los, deixando-os ser como são.
      Espero ter ajudado!😉

  2. E se eu tiver um pensamento intruso/intrusivo, devo “deixá-lo ser como é”? Qual é a melhor forma de combater um pensamento intrusivo, tendo em vista a observação?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s