O amor em ti

Outro dia perguntaram-me o que queria o UCEM dizer com a lição “A minha segurança está em ser sem defesas.”. O que eu entendo dessa lição é que nada nos pode atacar, a nossa segurança é imperturbável, por isso, o medo é um estranho na nossa mente natural.

Não há razão para termos medo dos nossos pensamentos, não há razão para termos medo do que os outros nos dizem, não há razão para termos medo das situações, nem da comida, nem de livros, nem de nada.

E como é viver sem defesas?

Para mim é observar como a mente se defende. Como a mente ataca. Observar. Sabendo que nada disso afeta quem eu sou.

Observar os pensamentos de ataque que surgem na minha mente.

Observar o que se passa à nossa volta, sem medo. E ao observarmos sem medo, não existe a necessidade de perpetuar o mecanismo de defesa da mente: o ataque.

Quando nos sentimos ameaçados de alguma forma atacamos.

Quando sentimos que o outro nos está a “atacar” com as suas opiniões, atacamos de volta, mostrando que a nossa opinião é a melhor.

Sabem que podemos ouvir a opinião do outro, sem querer mostrar qual é a nossa opinião?

Também podemos dizer o que pensamos ou sentimos. Mas sabe muito bem quando não temos essa necessidade!!!😉 Ou quando a observamos e deixamos passar!

Quando achamos que isto ou aquilo nos faz mal, uma situação, uma pessoa, uma comida, temos a tendência de rejeitar isso na nossa vida. E sentimo-nos culpados porque estamos a “separar” algo de nós, o que significa que existe alguma fragmentação na nossa mente e inconscientemente sentimos culpa.

Não significa que por causa disso vamos continuar a perpetuar comportamentos que sentimos que não são úteis para nós. Contudo, podemos AMAR esse comportamento pelo que foi, aceitá-lo por ter sido como foi, e amar a nós mesmos pelo que somos: AMOR. Como somos AMOR, amamos, e nada nos pode magoar! Observamos e deixamos que a VIDA corra o seu rumo e nos mostre a melhor solução.

Não precisamos defender-nos! Só precisamos observar e AMAR!

Não precisamos defender-nos dos “nossos pensamentos”.

Só precisamos observá-los, sem medo.

Observar sem medo significa que estamos a reconhecer também os medos. Reconhecer o que sentimos é muito importante. E se soubermos que não somos o que sentimos, nem o que pensamos, podemos observar sem medo o que passa na nossa mente, e permitir que a VIDA que somos tome conta desses pensamentos!

Eu sei que a nossa mente gosta de dizer que existem pensamentos que valem a pena, até porquê alguns são sobre a nossa vida “prática” neste mundo.

Não existem pensamentos mais importante do que outros, assim como “não existe ordem de dificuldade em milagres”.

Se começarmos a aceitar a ideia de que realmente não precisamos fazer nada, começamos a assumir que a nossa segurança está em ser sem defesas, e que sempre que nos defendemos somos atacados! E tudo isto acontece dentro da nossa mente!

Pode ser difícil aceitar estas ideias quando estamos muito habituados a resistir à simplicidade do amor.

Acho mesmo que quanto mais nos abrimos ao amor, mais ele se expande através de nós.

Ouve-o. Escuta-o com atenção dentro de ti.

Escuta-TE!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s