A diferença…. na igualdade

Dizemos que todos somos diferentes, mas no fundo somos iguais.

Mas para que diferenças olhamos e quais as igualdades que testemunhamos?

Será que não estaremos a olhar para dois lados da mesma moeda, esquecendo que aquilo em que somos iguais não tem nada a ver com formas, com personalidades, com situações…

Às vezes ouço que todos passamos pelo mesmo, todos nascemos e morremos, todos temos vulnerabilidades, todos isto e aquilo. Todos estamos embrenhados no mesmo sonho e mesmo quando olhamos para aquilo em que somos iguais, mantemos os olhos no sonho, sem nos lembrarmos de quem relmente somos.

E afinal, quem somos?

Podemos acreditar que somos um corpo, ou podemos abrir a nossa mente à possibilidade de sermos Um Espírito. Não é um espírito por cada corpo, é UM ESPÍRITO. E aí sim, somos o mesmo.

Faz sentido sermos apenas um corpo? Faz sentido todo o mundo em que parecemos viver? Os pensamentos que temos sobre esta realidade?

O UCEM diz que estamos a alucinar, e começo a acreditar!! Ahahahah

A vida conforme nos é apresentada faz sentido? Nascer para morrer e no entretanto lutar pelos nossos sonhos para que possamos ser felizes. Ah, e podemos ver esta realidade de uma forma mais agradável se pensarmos positivo ou se nos sentarmos a imaginar uma vida de sonho, porque assim os nossos sonhos tornam-se realidade. Claro, temos que ter em atenção o nosso karma, os mapas astrais, não vão os astros ter um desalinho qualquer no momento do nosso nascimento ou hoje estarem o contrário do AMOR e termos que estar atentos ao que nos podem destinar, além disso ainda existe um Deus que nos oferece lições para evoluirmos, para aprendermos a ser mais amorosos, e coisa e tal!!!

Tem que haver outra forma! Tem mesmo!

E não pode ser difícil. Nem dolorosa (ah, espera aí, mas dizem que sem esforço não se consegue nada!!! Nem a vitória sabe tão bem!! Vitória? Mas estamos a competir?).

ARRREEEEE!!!

Mas já deram conta na quantidade de disparates em que acreditamos?

“Ah, mas se não acreditarmos em nada, como é que vivemos?”

E que tal experimentar?

Experimentar abrir mão do que pensamos. Não querer saber se é verdade, se é mentira.

Simplesmente VIVER!!!!!!

O UCEM diz que no Instante Santo todos os conceitos são abolidos, um breve instante em que a mente silencia os seus ditamos e nos permitimos entrar no SILÊNCIO da Vida.

Questionar as nossas incongruências (e congruências) pode ser o primeiro passo para começarmos a abrir a nossa mente e o nosso coração a um nova perspetiva sobre nós, e aí sim, descobrir quem somos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s