“Criar versus auto-imagem”

“Tu podes te perceber como se estivesses criando a ti mesmo, porém não podes fazer mais do que acreditar nisso. Não podes fazer com que isso seja verdadeiro. E, como eu disse antes, quando finalmente percebes correctamente, só podes te contentar em não poder. Até então, todavia, a crença em que podes é a crença fundamental do teu sistema de Pensamento e todas as tuas defesas são usadas para atacar as que possam trazê-la à luz. Tu ainda acreditas que és uma imagem da tua própria feitura. Tua mente está dividida em relação ao Espírito Santo nesse ponto e não há nenhuma resolução enquanto tu acreditas na única coisa que é realmente inconcebível. É por essa razão que não podes criar e estás com muito medo em relação ao que fazes.”

Um Curso Em Milagres, Capítulo 3, VII, 4.6 a 4.12

A crença que criamos a nós mesmos e que estamos constantemente a recriar quem somos retira-nos o poder de quem realmente somos. Esquecemos a nossa natureza amorosa e andámos à procura de uma solução para isso.

Será que vale a pena tentar recriar algo que já é de si perfeito, amoroso e só pode criar o bem?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s