Atracção

Às vezes as pessoas procuram o coaching para atrair para as suas vidas “coisas” que querem.

Dinheiro, trabalho e relacionamentos são, normalmente, os mais usuais.

Livros sobre a lei da atracção tornaram-se muito comuns e acabam por responder a um dos desejos mais profundos do nosso ego: resistir à vida e ser deus da sua própria experiência.

Eu acredito que realmente podemos ter tudo o que é para nós. E que somos inspirados na direcção disso mesmo.

Contudo, a nossa mente, quando lê: eu posso ter tudo o que quero, lança-se num mundo de quereres, que, na maioria das vezes não são inspirados na nossa essência, mas sim num ego insatisfeito.

Será que somos felizes quando estamos constantemente à procura de algo que possa melhorar a nossa experiência?

Será que vivemos em paz quando estamos a viver para concretizar objectivos futuros?

Será que a felicidade está mesmo naquele objectivo que traçamos?

A questão é: o que achamos que vamos sentir/experimentar/viver quando aquilo que não temos for nosso?

A nossa vida irá ser diferente ou iremos encontrar um novo objectivo para manter um certo nível de adrenalina, drama e falta na nossa vida?

Algum dia iremos descansar e desfrutar da vida como ela é AGORA?

Ou será que está a pensar fazer isso daqui a uns anos, quando tiver tudo o que deseja?

Lembro-me do Joe Vitale dizer n’O Segredo que há um atalho para ter tudo o que quer: SER FELIZ AGORA.

Mas afinal, como se pode ser feliz, se a mente nos conta tantas histórias sobre o que é a felicidade e o que é preciso para ser feliz?

Para mim, não existem um só caminho para a felicidade… existem muitos e não existe nenhum.

Existem muitas formas de descobrirmos que a felicidade não se atinge. A felicidade sente-se, vive-se, no momento em que abrimos mão das ideias toscas, pequenas e loucas sobre nós e a vida.

O UCEM (Um Curso Em Milagres) ensina o perdão. Eckhart Tolle ensina a Presença. A Byron Katie ensina o The Work. O Mooji ensina a questionar a mente e observar. O Método Sedona ensina a libertar e a tomar consciência da Consciência. Tantas formas que levam ao mesmo sítio, ao mesmo espaço… ao mesmo AMOR.

Falo dos exemplos que fazem sentido para mim, pois não alimentam os quereres da mente. Como a Byron Katie diz, ensinam-nos a querer o que temos.

Atrair coisas, atrair pessoas, atrair trabalhos. Afinal o que é isso?

Se estivermos equilibrados, alinhados com a nossa sabedoria interior, estamos no bom caminho para atrair o que é para nós. E para isso, não precisamos nos preocupar com o que queremos, mas sim em abrir mão e libertar a nossa mente dos limites que nos impomos.

Memórias, emoções negativas, crenças limitadoras, são apenas limites que nos impedem de AMAR e viver PRESENTES com a abundância da vida.

Quando nos permitimos viver AGORA, com aquilo que a vida nos oferece agora, começamos a testemunhar uma abundância sem limites e a desfrutar de uma vida bem mais harmoniosa, pacífica e cheia de milagres!

Queres experimentar?

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s