Simples…

Quando descobri técnicas de libertação emocional, descobri a LIBERTAÇÃO que nem sequer sabia que era possível.

Contudo, o meu agora amou a palavra LIBERTAÇÃO. Posso deixar de me sentir triste, posso deixar todas as emoções negativas e simplesmente sentir-me SEMPRE BEM!!!!

Muitas pessoas chegam às sessões de coaching com o mesmo desejo, e algumas, já conhecendo algumas ferramentas como a EFT, sentem que a vida delas ainda não é o mar de rosas que tanto desejam.

Li uma vez num livro de Eckhart Tolle (ou ouvi num áudio dele) sobre a crença de que a vida é suposta ser feliz. Acreditamos que temos que nos sentir SEMPRE bem e que os momentos a que atribuímos um significado negativo não deveriam existir e deviam ser aniquilados.

Claro que é o que a mente quer por um lado, oferecendo a frustração, a tristeza e a desilusão de nunca conseguir viver SEMPRE em estado de graça e amor incondicional.

Há sempre qualquer coisa para trabalhar, qualquer coisa para limpar, algo para descobrir sobre desenvolvimento pessoal, aquele curso para frequentar, aquele autor para ler, e a incompletude mantém-se, disfarçada de auto-ajuda que me está a levar a um patamar talvez mais alto que o dia de ontem.

Entramos e saímos de ilusões com uma facilidade enorme, pois a nossa mente adora criar novos cenários para recriar os seus dramas.

A minha experiência pessoal e profissional tem-me mostrado que não existe libertação sem ACEITAÇÃO, e esse é o primeiro passo.

Podemos usar muitas ferramentas (enquanto nos apetecer e se for útil), mas é inútil usá-las se não aceitarmos que a VIDA É e manifesta-se através de nós a cada instante.

E cada um de nós possui memórias que estão constantemente a ser recicladas e apenas precisam ser sentidas e aceites, para que a libertação aconteça de forma natural.

A libertação emocional não é mais do que a aceitação de cada momento como ele é.

Existem traumas do passado que nos magoam? Existem memórias que estão sempre a gerar ansiedade, tristeza e depressaõ nas nossas vidas?

Então é preciso olhar para isso, sentir essas emoções, aceitar que elas estão presentes AGORA como uma forma de energia… deixá-las SER AGORA, permitir que possam fluir naturalmente e não prendê-las com julgamentos – “Eu não devia sentir isto”, “Eu já não devia sentir-me assim”, “Isto nunca devia ter acontecido”, “A culpa não é minha”, “A culpa é minha”, etc…

Simplesmente sentir… observar… sem agarrar.

A vida torna-se tão mais simples.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s