Comunicar com os filhos

Hoje publiquei isto no Facebook:

“Muitos pais reclamam que gostavam que os filhos fossem mais sinceros com eles, partilhassem mais as suas experiências e sentimentos. Enquanto pai ou mãe, partilha o que sente e pensa? Ou diz o que acha que os seus filhos querem ouvir? Permitir que o seu coração se abra em sinceridade com os seus filhos, vai abrir um canal de comunicação muito mais rico, sincero e amoroso!”

Eu compreendo que os pais que não partilham com os filhos aquilo que sentem, só não o fazem porque não sabem como o fazer.

Ou porque não foram habituados a isso ou porque existem receios interiores que os impedem de viver a comunicação com os outros de forma plena, aberta e em confiança.

Na minha experiência, pessoal e profissional, encontro pessoas que se abrem facilmente umas com as outras e outras não. O relacionamento com os filhos não é diferente.

Há pais que conseguem comunicar facilmente com os filhos, outros não.

O que é importante perceber é que cada pai e mãe faz o melhor que pode com os recursos INTERIORES e exteriores que tem disponíveis no momento.

Os pais até podem saber que é importante comunicar de forma sincera, partilhar o que sentem, e até podem pensar que o estão a fazer. Contudo, podem existir bloqueios emocionais que não lhes permitem ter a clareza e a visão interior suficientes para estabelecer uma conexão mais profunda, de forma fácil e sem esforço.

Uma criança que um dia partilhou um “segredo” com a mãe e depois ouviu a mãe contá-lo à família ou amigos, pode tornar-se numa pessoa que tem dificuldade em confiar os seus sentimentos a alguém. E pode nem sequer ter este episódio na sua memória consciente.

Há sempre uma razão, há sempre uma emoção, uma memória que está a limitar a livre expressão do amor e da liberdade em nós.

Culpar-se ou culpar os outros não resolve o problema.

Encontrar novas formas de abordar os relacionamentos, abrir-se a novas possibilidades de comunicação e EXPERIMENTAR ao seu próprio ritmo, pode ajudar qualquer pai ou mãe a transformar o seu relacionamento consigo mesmo e com os seus filhos.

 

One thought on “Comunicar com os filhos

  1. Olá Angela
    partilho plenamente da sua opinião. tenho muitas vezes conhecimento de familias em que as coisas foram vividas de forma camuflada, muitas vezes por pensarem que assim protegiam os menores, e isso só trouxe alienação da realidade, desilusão, falta de adaptação em fases posteriores da vida e fuga ao sofrimento porque nunca se enfrentaram as coisas como elas são. Claro que temos que ter consciência do impacto do que comunicamos mas não podemos simular a realidade. Se uma criança sente a mãe triste mas ela nega a sua tristeza está a dizer à sua criança que ela também não pode estar triste ou não o pode manifestar. Se mostramos que nunca existem discussões, como vamos ajudar a criança a compreender que no futuro, as suas relações com os ouros terão dificuldades de que é preciso falar e esclarecer? Acho que muito do trabalho que tem que ser feito na sociedade, passa essencialmente pelo trabalho com os pais.
    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s