Regressar ao amor

Muitas vezes, quando descobrimos o “mundo do desenvolvimento pessoal” e ferramentas ditas “milagrosas” de libertação emocional, a mente apresenta-nos um truque muito subtil: posso resolver todos os meus problemas e a partir de agora, vou viver sempre em paz, sem problemas e nenhuma perturbação.

Bem, acredito que existam seres humanos que estejam completamente em paz, em 100% da sua experiência de vida. Contudo, pela minha experiência, não é o que acontece com a maioria dos seres humanos!!!

É natural, que mesmo quando praticamos técnicas de libertação emocional ou nos entregamos ao estudo de “Um Curso Em Milagres”, os desafios interiores continuem a surgir: ansiedades, inquietações, medos…

A mente humana tem uma bagagem de memórias inconscientes tremenda, e cada um, à sua própria maneira, no seu próprio caminho interior, vai enfrentar a sua bagagem à sua maneira, de forma a perdoar o que precisa ser perdoado e restaurar a mente ao seu estado de AMOR.

Não é natural sentir medo. O natural é sentir amor.

Contudo, na maioria das vezes, não vivemos no nosso estado natural. A mente possui muitas memórias de culpas e medos, e é isso que ela vai reproduzindo no nosso dia-a-dia. Temos uma escolha a fazer: olhar para o medo e alimentá-lo, ou perdoá-lo e regressar ao amor.

Perdoar é dissolver a culpa e o medo. Perdoar é reconhecer que o nosso estado natural é SÓ AMOR e que o medo não tem realidade em nós. Existem inúmeras maneiras de perdoar, consoante o caminho e a escolha de cada um. Eu falo muito no UCEM, pois para mim faz muito sentido e é uma das formas que me ajuda a regressar ao estado de paz e Amor.

Hoje estava a ler “O Novo Mundo”, de Eckhart Tolle, e ele falava sobre deixar o sofrimento ser o que é. Se sentimos vontade de chorar, deixar chorar, observar os pensamentos na mente. Observar. Não precisamos identificar-nos com o sofrimento, podemos apenas observá-lo, deixá-lo ser. Quando deixamos o sofrimento ser, ele liberta-se naturalmente. Não precisamos compreender, falar sobre ele, analisá-lo.

É comum a mente dizer: não gosto de me sentir assim, não quero sentir-me assim, eu não devia sentir-me assim. Epah, é assim que nos sentimos? É Assim!!! É o que é! E quando o permitimos, tudo parece tornar-se mais simples, mais leve!

Não existem devias. Existe apenas o que é. Qualquer pensamento que adicionamos é que aumenta o sofrimento e o faz persistir.

Quando não te sentires em paz, podes sempre fazer uma pequena oração, escolhendo a paz em vez do sofrimento, escolhendo o estado natural e deixando que a parte sábia em ti faça o que precisa ser feito.

É simples, muito simples!! O ego é complexidade. O amor é simplicidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s