Perdoar

A tarefa mais simples e gratificante, a função mais sublime que podemos esperar de nós mesmos.

Muitas pessoas perguntam-me como consigo perdoar o passado, existem coisas tão dolorosas, tão difíceis. Houve tempos em que me disseram que a minha vida é que era fácil e não tinha passado por problemas complicados.

Realmente, se comparar a minha vida com a de outras pessoas, sou capaz de achar que estou a ser uma menina mimada… mas se comparar com a de outras, posso achar que sou mesmo enteada e não filha da vida!!!😀

A verdade, é que não adianta comparar, porque qualquer dor que sintamos, seja ela testemunhada no exterior por algo que nos parece bom ou mau, é uma dor. “Um Curso Em Milagres” diz-nos que nos habituamos a sofrer e a dor tornou-se a nossa atracção favorita.

Perdoar, para mim (e na minha interpretação do Curso) não é perdoar as coisas horríveis e dolorosas do passado, não é esquecer os pecados que infligimos e nos infligiram. Perdoar é reconhecer a nossa verdadeira identidade – ESPÍRITO – e reconhecer que o ESPÍRITO não pode ser afectado por qualquer tipo de pensamentos, palavras e acções.

Nós pensamos que somos a história que contamos sobre nós. Pensamos que somos um corpo, separado de outros corpos, e mesmo quando acreditamos em espíritos, acreditamos em espíritos encarnados em corpos, espíritos com uma história, com uma evolução e caminho a seguir.

Para mim, o curso não diz isso. O curso diz que nós SOMOS UM ÚNICO SER, a viver em Deus, em total paz e amor, a sonhar com uma história e com um corpo.

Esse sonho são os nossos pensamentos insanos, pensamentos de culpa e medo, originados pela ideia de que estamos separados de DEUS, a nossa única fonte de VIDA E AMOR.

Se começarmos a perdoar a partir deste prisma, perdoar torna-se simples e natural em nós. Aliás, eu acho mesmo que o perdão é natural. Sabes porquê? Porque me sinto em paz, livre e leve quando o pratico.

Se eu sou um ESPÍRITO e não sou uma história, se tu és um ESPÍRITO e não és uma história, nada que aconteça na história pode afectar aquilo que realmente somos (o que não significa que não tenha consequências na história – mas isso é uma assunto para outra altura). O perdão é o reconhecimento de que apenas foi a história que interagiu com outra história, com crenças e ideias partilhadas, e que AGORA, está tudo bem. O perdão altera a história também, torna-se mais pacífica e amorosa.

Os olhos do corpo, habituados a ver a sua projecção de medo e culpa, quando guiados por uma mente perdoada e direccionada para o perdão, começam a ver a projecção da sua bondade para consigo mesma – a libertação da culpa e a aceitação do amor que É.

Perdoar é só libertar a mente daquilo que ela pensa que é real, mas apenas a limita a uma visão pequena e distorcida de si mesma.

Como se pratica o perdão?

De tantas e tantas formas. O importante é a intenção, a vontade interior de o fazer.

Como coach e terapeuta, conheço várias ferramentas que ajudam qualquer indivíduo a resolver as suas mágoas através do perdão.

O curso oferece 365 exercícios de perdão e um livro de texto que explica como o perdão tem que ser feito.

Para mim é indispensável olhar para o que nos faz sofrer, para os pensamentos que nos limitam e limitam os outros e as situações, e depois disso, tomar consciência que tudo está dentro da nossa própria mente. Nesse momento, saber que somos um ESPÍRITO, em união com DEUS, inocentes e puros é o passo final fundamental da nossa parte. Se estamos em Deus, e a separação nunca aconteceu, então não há nada a temer e o passado não tem mais valor.

Eu sei, pode não parecer assim tão simples. Pratica, experimenta. Pede ajuda se não conseguires. “Go for the Gold”

Não te deixes ficar limitado a ideias pequenas e limitadas sobre ti mesmo. O que tu és não se pode limitar, o que tu pensas que és limita-se com a simples ideia de que pode recriar-se a si próprio.

“Perdoar é meramente lembrar apenas os pensamentos amorosos que deste no passado e aqueles que te foram dados. Todo o resto tem que ser esquecido. O perdão é uma lembrança selectiva, que não se baseia na tua própria selecção. Pois as figuras feitas das sombras que queres tornar imortais são “inimigas” da realidade. Que estejas disposto a perdoar o Filho de Deus por aquilo que ele não fez. As figuras das sombras são as testemunhas que trazes contigo para demonstrar que ele fez o que não fez. Porque as trazes contigo, tu as ouvirás.
(…)
O ego busca “resolver” os próprios problemas, não em sua fonte, mas onde não foram feitos. E assim busca garantir que não haverá soluções. O Espírito Santo quer apenas fazer com que as Suas resoluções sejam completas e perfeitas e assim busca e acha a fonte dos problemas onde ela está e lá as desfaz. E com cada passo no Seu desfazer, cada vez mais a separação é desfeita e a união trazida para mais perto.”

Um Curso Em Milagres, Capítulo 17. III. Paragrafo 1 e 6
Mais sobre Um Curso Em Milagres em http://umcursoemmilagresporto.blogspot.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s