Lição 30 UCEM

Lição 30
Deus está em tudo o que eu vejo,
pois Deus está em minha mente.

A ideia para o dia de hoje é o trampolim para a visão. A partir dessa ideia o mundo se abrirá diante de ti e tu o contemplarás e verás o que nunca viste antes. E o que vias antes não será nem mesmo vagamente visível para ti.

Hoje estamos tentando usar um novo tipo de “projecção”. Não estamos tentando livrar-nos do que não gostamos por vê-lo do lado de fora. Ao invés disso, estamos tentando ver no mundo o que está em nossas mentes e o que queremos reconhecer lá está. Assim, estamos tentando unir-nos ao que vemos ao invés de mantê-lo à parte de nós. Essa é a diferença fundamental entre a visão e o modo como tu vês.

A ideia de hoje deve ser aplicada com a maior frequência possível durante o dia. Quando tiveres um momento, repete-a lentamente para ti mesmo, olhando à tua volta e tentando reconhecer que a ideia se aplica a tudo o que de facto vês agora ou poderias ver agora, se estivesse dentro do âmbito da tua vista.

A visão real não está limitada a conceitos tais como “perto” e “longe”. Para ajudar-te a começar a acostumar-te com essa ideia, ao aplicar a ideia de hoje, tenta pensar em coisas que estejam além do teu âmbito de visão do momento, assim como naquelas que realmente podes ver.

A visão real não só é ilimitada pelo espaço e pela distância como também independe totalmente dos olhos do corpo. A mente é a sua única fonte. Um recurso para ajudar-te a acostumar-te a essa ideia, é dedicar vários períodos de prática à aplicação da ideia de hoje com os olhos fechados, usando quaisquer sujeitos que à tua mente cheguem e olhando para dentro ao invés de para fora. A ideia de hoje se aplica igualmente a ambos.

Livro de Exercícios de “Um Curso Em Milagres

De cada vez que faço uma lição do curso é uma novidade. Já fiz esta lição mais do que uma vez, mas nunca a li como hoje.

Na minha experiência, a forma mais simples de desfrutar do melhor destas lições é não querer experimentar NADA. É ler com a mente aberta, sem tentar colocar os meus conceitos por cima.

Por exemplo, hoje aparece novamente o conceito “Deus”. É quase impossível para a mente não tentar associar a palavra Deus às memórias e ideias que temos associadas. No decorrer das lições o conceito de Deus vai tornando-se muito mais aberto e aprendi a não colocar as minhas ideias em cima das lições do curso, ou mesmo do seu próprio texto.

O livro oferece-nos uma nova visão, mas para a podermos ver, temos que abrir mão da nossa. Não é preciso compreender, não é preciso assimilar completamente. Na minha perspectiva não é esse o objectivo. O objectivo é ficarmos em paz, e inconscientemente as mudanças irem acontecendo.

Claro que é necessário uma prática consciente: a prática dos exercícios, a leitura do livro e a abertura para uma nova possibilidade. Não acredito que mais do que isto seja requerido, o próprio livro de texto nos diz que é apenas necessário a disponibilidade para ver de outro modo.

Estamos deveras habituados a ter razão, a saber que aquilo que vemos é bem definido e isso faz com que a mente se feche.

A minha experiência com o curso vai variando muito, e como já escrevi é sempre uma aventura, uma novidade… mas sabe tão bem!! A experiência interior é…. É!!!




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s