Viver

O que pensamos nós que é viver?

Quantos de nós usam o desenvolvimento pessoal, com verdadeiro empenho, numa perspectiva de evolução e crescimento, de se desenvolverem, criam objectivos, atingem objectivos, continuam a criar objectivos e continuam a manter a mesma perspectiva de evolução e crescimento, sempre em busca de quem são, porque esse é um caminho para a vida.

E será que isto é um paradigma muito diferente do paradigma de se ver a sofrer e não compreender porque a vida é assim?

O que é que realmente pensamos sobre nós e o mundo? E que tipo de experiências temos vivido que nos testemunha isso?

E que tipo de experiências queremos viver?

Queremos estar constantemente a empurrar para amanhã a descoberta de um mundo de paz interior, onde tudo nos é dado?

“Um Curso Em Milagres” diz que “tudo te é dado”. Então porque passamos tanto tempo em busca do que não temos?

Porque a nossa mente mantém o mesmo equívoco: nós somos um corpo, separado do todo e separados uns dos outros.

É impossível isso ser assim.

Como o poder que temos é imutável, e mesmo que não estejamos conscientes dele, ele continua a ser nosso por direito, continuamos a criar experiências de vida que testemunham que “temos razão”.

Não confiamos, não entregamos cada momento, não aceitamos o momento presente nem o fluir das situações.

Tentamos controlar tudo o que acontece, queremos sempre o que ainda não está aqui e são breves os momentos de profunda satisfação.

Quando sentimos uma satisfação profunda, rapidamente ela se some para dar lugar a um novo objectivo, a um novo desejo, a uma nova insatisfação.

O ego tem sempre o desejo por mais, dizendo que aquilo que é não chega!

Ter! Há algum problema em ter? NENHUM!

Ter é igual a Ser!

Nós temos tudo, porque somos tudo.

Como a mente dualista não consegue perceber isso, porque só percepciona o que vê e consegue alcançar com os sentidos físico, não aceita tal como verdadeiro, e continuamos a desviar o nosso caminho para todo o tipo de soluções dualistas, em vez de irmos ao âmago da questão e encontrarmos o verdadeiro poder dentro de nós.

Usar o poder da mente para ter isto ou aquilo resulta, mas usar o poder ilimitado que é nosso por natureza para vivermos em paz, dá-nos tudo aquilo com que sonhamos e muito mais do que podemos imaginar!

E aí vivemos, despreocupados, soltos e livres!

3 thoughts on “Viver

  1. Angela, uma dúvida. Se libertarmos a culpa (com eft ou sedona) por sentirmos que traímos o Criador ao acreditarmos na separação, vamos ao âmago da questão? Libertamos o sentimento de culpa inicial? É isso possível?

    1. Olá Daniela,
      essa culpa vai surgindo por camadas.
      É possível que de uma só vez ela se vá… acredito que sim.
      Mas também sei que a nossa mente está povoada de muitos fantasmas sobre o assunto, e o curso nos permite ir libertando esses fantasmas segundo a nossa disponibilidade.
      E sim, quando libertamos essa culpa, vivemos numa realidade mais livre e solta.
      Sorrisos!

  2. Boa tarde Ângela:

    Já tinha saudades dos seus posts.
    Tudo para si, parece simples e natural,mas para mim…não é bem assim.
    Estou tentando libertar-me da mente e não há dúvida que isso nos mdáe uma grande tranquilidade,mas passado algum tempo,lá volta tudo ao mesmo…e se…e se…
    Tenho esperança de conseguir.
    Um abraço.
    Mº.José

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s