AMAR

Temos muita vergonha de falar em Amor, e muitos preconceitos em usar palavras amorosas e belas para descrever a nossa essência de luz.

Na língua inglesa tudo parece muito simples, muito “wonderful”  e “love” é usado facilmente.

Por várias vezes já ouvi pessoas dizer Eu Amo-te em inglês porque é mais fácil. Chamam “love” em vez de “amor” à/ou companheira/o, pois parece mais leve e sem a força da palavra AMOR!

Afinal, qual é o nosso problema com a palavra AMOR?

Afinal, qual é o nosso problema com o conceito AMOR?

Bem cá dento, qual é o nosso problema com o sentimento AMOR?

A maioria das pessoas ainda tem muito medo de AMAR.

É verdade que a palavra amor está associada a uma infinidade de conceitos limitadores e dolorosos, onde o sofrimento está sempre presente quando existe amor. Mas será o amor um sinónimo de sofrimento?

Onde existe amor, pode realmente existir dor? Ou esta é apenas mais uma, e talvez, uma bem forte, crença limitadora na qual toda a humanidade parece acreditar?

Quando nós acreditamos em algo, tornamos isso realidade na nossa experiência. É assim que esta experiência é, a mente é criativa e cria experiências segundo as crenças que alimenta.

Podemos acreditar ou não, saber disto ou não. Podemos ouvir isto, ler isto vezes sem conta, e continuar a meter a cabecinha dentro da terra e escondermo-nos da verdadeira realidade. Tudo bem! É só uma experiência.

Mas se temos a oportunidade de deixar partir conceitos limitadores, se temos a oportunidade de descobrir que afinal todas estas crenças são apenas pensamentos que podemos deixar partir, e dessa forma a nossa realidade torna-se mais suave e agradável, porquê que continuamos a fugir ao AMOR????

Porque não se trata de fugir da palavra, não se trata de preferir o inglês ou o português, trata-se daquilo que nós pensamos sobre o Amor, que possivelmente é muito mais profundo do que aquilo que temos associado à palavra Love!

São só palavras!

E a nossa mente tem tantas associações, que muitas vezes nos vemos aflitos apenas porque pensamos numa palavra, ou pior, porque a dissemos.

Para nós expressar pensamentos verbalmente é que é importante, como que aquilo que pensamos seja apenas algo na nossa cabeça, sem qualquer importância na nossa experiência.

Pelo contrário, aquilo que dizemos ou escrevemos, é apenas um reflexo do que pensamos, ou muitas vezes é apenas uma aparente fachada. Aquilo que realmente é importante no nosso relacionamento com a vida e com os outros, são os nossos PENSAMENTOS!

Não fujam mais a esta realidade. Não vale a pena!

Mais cedo ou mais tarde vamos todos ter que despertar para isto! E quanto mais cedo o fizermos, mais facilitamos a nossa vida e facilitamos, inconscientemente, a vida daqueles que ainda vivem no medo, na dor e na inconsciência, esquecidos que são muito mais do que os pensamentos que cruzam a sua cabeça.

Quando voltarem a sentir medo da palavra AMO-TE, ou AMOR, ou AMAR, ou derivada (eheheh), observem o medo… observam a emoção associada… observem como é apenas uma emoção, associada a uma palavra… e deixem partir…

De cada vez que deixarem partir essa emoção, vão mais profundamente dentro de vocês, e começam a descobrir a consciência que está consciente de toda a esta experiência, o verdadeiro Amor que somos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s