Presença

Imagem: Google

O nosso estado natural é a simplicidade, a presença e a serenidade.

Estou a ler o livro “Um Novo Mundo”, novamente. Conforme a nossa consciência se vai expandindo, os ensinamentos que lemos vão tendo um novo espaço de entendimento dentro da nossa consciência.

A serenidade e a certeza que os ensinamentos de Eckhart Tolle são sentidos no interior de todos nós, quando realmente conseguimos tocar no nosso interior, tocar nessa paz que está em todos nós, nessa paz que realmente todos somos.

Basta observarmos a nossa mente e observarmos a separação que criamos com todos os pensamentos, e de repente, aquilo que observa os pensamentos é Aquilo que está consciente de tudo. A consciência que está consciente dos pensamentos, das imagens da mente… e que também está consciente de tudo aquilo que vemos no nosso exterior.

Tudo isto está a acontecer na nossa consciência.

Eu também acredito que aquilo que nos une nesta experiência é o AMOR que sentimos uns pelos outros.

Às vezes não parece amor, pois estamos tão perdidos nos pensamentos da mente, que estamos completamente perdidos da verdadeira vida e do verdadeiro amor que habita todas as formas.

As personalidades, as acções, as palavras que estamos habituados a observar são apenas meros reflexos da inconsciência mental. Quando começamos a trazer a luz da consciência às acções e palavras, à nossa mente e a tudo aquilo que pensávamos que éramos, começamos também a observar os outros com uma nova luz, sabendo que também eles têm uma luz brilhante por detrás de toda a aparência de medo e insegurança.

Não se deixem perder na inconsciência dos comportamentos.

Lembrem-se que um comportamento é um reflexo de um estado mental. E quando o estado mental está toldado pela inconsciência, pela ausência de Presença e Verdadeira Atenção, é natural que o medo seja o senhor dos comportamentos.

Isso não implica que a responsabilidade esteja ausente devido à inconsciência. Mas é cada vez mais necessária uma responsabilidade consciente daqueles que já estão despertos e conseguem observar a loucura da mente.

Hoje, é mais um dia em que estou a praticar o estado de presença.

E pode ser feito de várias formas.

Observar o respirar. Sentir os meus dedos a tocar no teclado do computador enquanto escrevo. Ouvir o som dos passarinhos a cantar lá fora, e estar consciente de todos os sons envolventes e os sons interiores do corpo.

Quando toco em alguma coisa, sinto a sua textura, temperatura: ao lavar as mãos, ao tomar banho, ao escrever, quando pego num livro ou caneta, quando coloco os pratos e talheres na mesa, quando preparo o pão para o pequeno almoço…

Apenas pequenos exemplos.

Outro dia reparei que nunca tinha reparado na textura de alguns objectos, especialmente na rua, pois quando passava ou tocava em algo, o meu objectivo era chegar a algum lado.

Quando a consciência desperta para o momento presente, o objectivo é SER neste momento. E tudo parece transparecer uma beleza calma e serena.

Aproveitem pequenas tarefas do dia-a-dia, pequenos momentos, que um dia se tornaram momentos mais longos… e a serenidade será quase uma constante… até que um dia o despertar é completo e a lembrança de Quem Somos será uma Realidade para todos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s